Como sobreviver ao COVID-19 sendo uma pequena empresa?

Como sobreviver ao COVID-19 sendo uma pequena empresa?

Construir uma empresa de sucesso é um feito desafiador na melhor das hipóteses – 95% das startups falham e a maioria das pequenas empresas fecham suas portas antes de completar cinco anos.

Com isso em mente, pode parecer quase impossível fazer isso quando há uma pandemia global fechando a economia mundial.

Ninguém sabe ao certo quando sairemos desse buraco negro e os mercados retomarão a programação normal – estimativas que variam de vários meses a vários anos.

O que sabemos é que, ao contrário da crise financeira global de 2008, que apontou para problemas internos em nossos mercados financeiros, COVID-19 representa um evento externo e, portanto, é lógico que devemos esperar uma rápida recuperação assim que a crise passar – ou pelo menos nós esperamos que sim.

Com base nisso, é hora de delinear com calma entre o que você pode controlar e o que não pode, e se concentrar no primeiro.

Pensando nisso, levantamos alguns fatores que você pode sim controlar, como por exemplo revisar seus extratos bancários para todas as plataformas nas quais sua empresa está inscrita, mas ou não está usando e continua pagando cegamente, ou não obterá muito valor com o clima atual.

Suspenda, cancele ou reduza o

número de contas que você possui.

Se isso não for uma opção, você pode tentar entrar em contato com essas empresas e renegociar sua taxa mensal durante a crise. Além disso, é importante pensar em renegociar contratos com fornecedores essenciais para baixar os preços durante o período de crise. Jeffrey Epstein, da Bessemer Venture Partners, sugere fazer isso em troca de um contrato de longo prazo para que todos ganhem.

Se você precisa de dinheiro agora e seus prazos de pagamento típicos são longos e seus devedores estão em risco de inadimplência considere vender suas faturas para serviços de factoring com um desconto. Por exemplo, se um cliente lhe deve R$ 50.000, mas não está definido para pagar por mais 60 dias e você precisa do dinheiro agora (espero que não esteja vivendo tão perto do vermelho), então você pode vender por R$ 40.000 e receber o dinheiro hoje.

É um momento difícil para a maioria das empresas, até mesmo a Kimberly Clark, que possui marcas como Kleenex e Huggies e movimenta muito papel higiênico, caiu 15% em relação ao mês anterior no momento em que este artigo foi escrito. As empresas vão apertar o cinto e seguir etapas como essas, então, se você continuar a ter despesas, mas ver sua receita começar a cair de um penhasco, pode ser hora de entrar em contato com clientes em potencial com quem você conversou e oferecer descontos em serviços ou produtos pelos quais manifestaram interesse.

Acreditamos que todos nós vamos sair dessa juntos!!


Contem com a Equipe Terracota para tudo e não se desesperem. 


Texto de Rebecca Lorenzetti. 🧡